Reflexão sobre a reforma do sistema político português

Sedes apresentou projecto de Reflexão sobre a Reforma do Sistema Político Português

por SEDES

Numa sala bem composta, onde figuravam, entre outros, personalidades como Guilherme d’Oliveira Martins, Edmundo Pedro e Henrique Neto, a Associação para o Desenvolvimento Económico e Social (Sedes) apresentou o seu projecto “Reflexão sobre a Reforma do Sistema Político Português”.

Coube a Luis Campos e Cunha, Presidente da Sedes, proferir as palavras iniciais da sessão, afirmando, por exemplo, que a sociedade portuguesa e o país “necessitam de uma reforma do seu sistema político”. Para o exministro das Finanças, é “fundamental uma reflexão profunda sobre estes temas”.

Por sua vez, Paulo Sande, coordenador do grupo interno da Sedes responsável por este projecto, notou que um sistema político inclui diversas realidades, que vão desde os sistemas eleitorais à Constituição, sendo que “todos estes aspectos estarão na ementa da reflexão que a Sedes propôs e a que um conjunto de parceiros já superior a duas dezenas entendeu aderir”. Para o historiador Rui Ramos, outro dos intervenientes nesta sessão de apresentação, “o debate democrático não é apenas uma simples troca de opiniões. São necessários conhecimentos e regras”, elogiando assim o “espaço que este projecto concede” a esse mesmo debate.

Representados na sessão de apresentação estiveram quase todos os parceiros deste projecto, das mais prestigiadas instituições nacionais a Universidades de diferentes partes do país, órgãos de comunicação social e outros, numa participação transversal que permanecerá em aberto durante sensivelmente um ano, período previsto para o desenrolar das acções de reflexão.

Finalizando, Paulo Sande reiterou: “temos a esperança de conseguir resultados concretos e exequíveis, através da força e da vaga de fundo despoletada por todos estes parceiros”, acrescentando ainda: “levaremos as nossas conclusões junto dos decisores políticos e institucionais, a fim de tentar melhorar o nosso sistema político”.

Lista actual de parceiros: Fundação Luso-Americana, Fundação Gulbenkian, Centro Nacional de Cultura, Alentejo de Excelência, Cinemateca, Fundação Francisco Manuel dos Santos, Inatel, Instituto de Defesa Nacional, Observatório Político, Universidade Católica, Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica, Universidade de Évora, Universidade de Braga – NICPRI, Universidade dos Açores, ISCTE – IPPS, Instituto de Ciências Sociais, SIC Notícias, Diário de Notícias, Jornal Expresso, SEDES, Plataforma Activa da Sociedade Civil – PASC